Mulher Saúde

Posts Tagged ‘HPV

Quantas mulheres não recebem o resultado de seu exame preventivo e se assustam com essa palavra: inflamação!!! Acreditam que ela tem tudo a ver com aquela coceirinha chata, ou com aquele corrimento que vira e mexe volta a incomodar. Mas isso não é verdade e, portanto, resolvi escrever esse texto para tentar deixar claro o real significado desse resultado.

Antes de falar sobre o papanicolau, quero explicar o que significa o termo inflamação. No corpo humano, a resposta inflamatória, ou seja, a inflamação tem uma série de funções. A função mais conhecida dela é a de ativar, estimular o sistema imunológico (sistema de defesa do corpo contra doenças) quando o corpo é invadido por algum bicho oportunista. Por esse motivo, quando as pessoas escutam esse termo, imediatamente o associam a uma infecção. A infecção é sinônimo de um problema causado por algum bicho oportunista (bactérias, vírus, etc.). Porém, outra função importante da inflamação é atuar no processo de cicatrização do corpo. A cicatrização só ocorre quando há uma resposta inflamatória no local da lesão, e é essa resposta que resulta na produção da “nova pele” que recobrirá o local machucado.

Existem diversas causas que estimulam a inflamação na vagina. Aqui comentarei sobre duas, que são as mais freqüentes. A primeira é que, quando a mulher tem relação sexual, o atrito entre o pênis e a vagina causa micro-lesões, micro-fissuras. Para cicatrizar esses mini-machucados, há a inflamação. O outro motivo é hormonal: a progesterona, hormônio que aumenta na segunda fase do ciclo menstrual (vide o texto ciclo menstrual) deixa a mucosa da vagina mais fina, mais delicada. Isso, juntamente com outros mecanismos de regulação da flora vaginal, resulta numa inflamação local. É importante enfatizar que essa inflamação na vagina, causada por esses fatores naturais que mencionei acima, não dão sintomas irritativos. Faz parte do funcionamento natural da vagina, e por isso não necessitam de tratamento.

O papanicolau, como já expliquei no outro texto (papanicolau e corrimento) é um exame que tem como objetivo detectar alterações celulares no colo do útero que indicam a infecção ativa pelo vírus do HPV. Essa alteração, se não tratada e acompanhada adequadamente, pode evoluir para câncer. Por outro lado, se essa alteração for tratada adequadamente e a mulher fizer um seguimento anual com o papanicolau, a chance de evoluir para câncer é mínima, praticamente nula. Daí vem a enorme importância do papanicolau na manutenção da saúde e do bem estar das mulheres. Portanto, quando você receber o resultado de seu exame preventivo e estiver escrito inflamação, fique feliz, pois isso significa que sua vagina está ótima e seu exame é normal!

O Papanicolau é um exame no qual são coletadas células do colo do útero, colocadas numa lâmina e vistas posteriormente no microscópio. O objetivo desse exame é detectar alterações nessas células que são sugestivas de infecção pelo vírus do HPV (Papilomavírus humano). Essa infecção, se não for tratada adequadamente, causa o câncer de colo de útero. Por isso o Papanicolau é tão importante, pois detecta essas primeiras alterações, permitindo assim o tratamento precoce e evitando um desfecho tão grave e maléfico.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, esse exame não tem como objetivo fazer diagnóstico de corrimento, mas sim dessas lesões causadas pelo HPV. A presença de um corrimento ou de uma infecção no momento do exame prejudica sua leitura, não permitindo que o patologista (médico que avalia esse exame e dá seu laudo, seu resultado) faça uma avaliação adequada da amostra.

Quando é encontrada a presença de Cândida ou Gardnerella nessa lâmina, não há porque se preocupar. Esses bichos participam da flora vaginal (compõe naturalmente o ambiente da vagina, “vivem”, “moram” lá). Desta forma, se na hora da coleta um deles for pego junto e colocado na lâmina, não significa que seu crescimento esteja aumentado e que ele precisa ser eliminado, tratado. Só há a necessidade de tratá-los caso a paciente apresente sintomas relacionados a esses bichos. Caso contrário, não tem porque ficar usando cremes e remédios sem necessidade (exceto na gravidez).


Dra Paula

Olá, sejam bem-vindas ao meu blog! Antes de mais nada gostaria de me apresentar: sou médica formada pela USP, fiz residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital das Clínicas da USP e faço pós-graduação em Medicina do Esporte na Escola Paulista de Medicina. Trabalho como médica voluntária no Hospital das Clínicas e tenho consultório na clínica Célula Mater.
Escrevo esse blog pois acredito que a mulher se beneficia muito quando entende seu corpo e o como as doenças atuam nele. Isso contribui com o acompanhamento clínico e o tratamento. A partir do momento que a paciente se torna uma pessoa consciente de seu corpo, ela fica mais ativa junto ao médico na busca pela saúde.
Infelizmente não consigo responder a questões individuais através dos comentários. O objetivo desse blog é didático.
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 413 outros seguidores