Mulher Saúde

Trabalho de parto, parte 2: haja paciência!

Posted on: 24/04/2009

A fase de latência é quando o colo começa e ter alguma dilatação. Ela pode durar de horas a dias, e é quando a grávida acaba indo inúmeras vezes ao hospital achando que finalmente chegou a hora.

Nessa fase as contrações ficam um pouco mais fortes que as de Braxton-Hicks, e mais freqüentes. Como elas se tornam mais incômodas, é comum a gestante ficar muito ansiosa, afinal, ela começa a sentir mais dor, mas o colo ainda demora para dilatar (ele começa a dilatar mais rápido a partir de 3 para 4 cm).

O que ela pode fazer para aliviar esse incômodo é, em primeiro lugar, saber que ainda pode demorar um pouco para chegar a hora H. Quando vierem as contrações, respirar fundo e devagar pelo nariz e soltar pela boca. Não é para respirar rápido porque muito oxigênio no sangue dá tontura e formigamento.

Se quiser um analgésico, peça para que seu obstetra o receite. Eles só aliviam a dor, e não inibem as contrações, assim, eles não vão fazer o trabalho de parto ficar mais lento do que já está.

Quando perceber que as contrações estão aceleradas, marque durante 1 hora: o intervalo entre elas e quanto tempo elas duram. A fase de latência costuma ter de 1 a 3 contrações a cada 10 minutos, e as contrações duram uma média de 60 segundos.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Dra Paula

Olá, sejam bem-vindas ao meu blog!

Antes de mais nada gostaria de me apresentar: sou médica formada pela USP, fiz residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital das Clínicas da USP e fiz pós-graduação em Medicina do Esporte na Escola Paulista de Medicina (Cefit). Trabalhei no Hospital das Clínicas como médica responsável pelo ambulatório de Ginecologia do Esporte e na clínica Célula Mater.

Escrevo esse blog pois acredito que a mulher se beneficia muito quando entende seu corpo e o como as doenças atuam nele. Isso contribui com o acompanhamento clínico e o tratamento. A partir do momento que a paciente se torna uma pessoa consciente de seu corpo, ela fica mais ativa junto ao médico na busca pela saúde.
Follow Mulher Saúde on WordPress.com
%d blogueiros gostam disto: