Mulher Saúde

Archive for the ‘infecções na gravidez’ Category

O exame da sorologia tem por objetivo dosar dois tipos de moléculas: a IgM e a IgG. A IgM é a molécula que é formada rapidamente no corpo logo após o primeiro contato dele com um bicho (qualquer bicho). É através dessa molécula, formada perfeitamente para aquele determinado bicho, que o corpo organiza o ataque inicial para combater essa determinada infecção. Essa molécula tem como característica ter uma vida curta, assim não durando muito tempo no corpo.

A IgG é uma molécula que demora mais tempo para ser formada, e ela é responsável pelo impedimento da re-infecção por aquele determinado bicho. Ela funciona como soldados especializados no reconhecimento e combate daquele bicho específico, desta forma impedindo que ele cause uma nova infecção, caso entre em contato com o corpo num outro momento.

Existem muitas doenças cujo diagnóstico não é feito pela pesquisa do bicho em si, mas pela pesquisa da presença ou ausência das células que o corpo produz responsáveis pelo combate dessa doença. Esse exame é chamado de sorologia.

Como entender o resultado do exame?

  • IgM negativo (não reagente) e IgG positivo (reagente): imune: você já entrou em contato com esse bicho, e já criou defesa contra ele. Portanto, você não tem mais que se preocupar com esse problema.
  • IgM positivo (reagente) e IgG negativo (não reagente): infecção aguda: você está com uma infecção por esse bicho, ou seja, você está entrando em contato com ele pela primeira vez. Converse com seu obstetra sobre quais medidas devem ser tomadas.
  • IgM e IgG positivos (reagente): indeterminado: não é possível saber há quanto tempo você entrou em contato com esse bicho pela primeira vez. Pode ser há pouco tempo, ou há muito tempo. Converse com seu obstetra sobre quais medidas devem ser tomadas.
  • IgM e IgG negativos (não reagente): susceptível: você nunca entrou em contato com esse bicho. Portanto, deve se prevenir para que esse contato não ocorra pela primeira vez durante a gravidez.
Anúncios

Porque é necessário fazer o teste de toxoplasmose no início da gravidez?
Pois a toxoplasmose é uma infecção que tem tratamento durante a gestação, tanto para a mãe como para seu neném dentro da barriga. E o diagnóstico só pode ser feito através do exame de sangue, já que essa doença pode aparecer sem dar sintoma nenhum.

Como entender o resultado do exame?
• IgM negativo e IgG positivo (imune): você já entrou em contato com esse bicho, e já criou defesa contra ele. Portanto, você não tem mais que se preocupar com esse problema.
• IgM positivo e IgG negativo (infecção aguda): você está com uma infecção por esse bicho, e precisa iniciar um tratamento contra ele. Além disso, deve-se fazer outros exames para investigar se houve contaminação do seu neném.
• IgM e IgG positivos (indeterminado): não é possível saber a quanto tempo você entrou em contato com esse bicho pela primeira vez. Pode ser há pouco tempo, ou há muito tempo. Para descobrir isso, você deve fazer outros exames.
• IgM e IgG negativos (susceptível): você nunca entrou em contato com esse bicho. Portanto, deve se prevenir para que esse contato não ocorra pela primeira vez durante a gravidez.

Como evitar entrar em contato com a toxoplasmose?
• Comer carnes bem cozidas, fuja das mal-passadas! A mesma recomendação para os ovos, sempre bem cozidos!
• Quando for mexer com carnes cruas, não encostar a mão nos olhos ou na boca antes de lavar bem com água e sabão.
• Lavar muito bem as frutas, verduras e legumes antes de comê-los.
• Evite contato com gatos e tudo que possa estar contaminado com as fezes deles. Porém, se você tiver um gato de estimação, não precisa doá-lo, basta ter alguns cuidados a mais:
 Alimente-os com carne bem cozida;
 Limpe todos os dias o recipiente onde ele deixa suas fezes com água fervendo, sempre usando luvas de borracha;
 O seu gato pode fazer um exame para detectar se ele possui ou não a toxoplasmose, e se for positivo, ele pode fazer o tratamento para curar dessa infecção.
• Use luvas de borracha ao mexer na terra, por exemplo, ao fazer jardinagem;
• Se estiver num lugar onde não saiba exatamente a origem da água que toma, é melhor ferver antes de tomá-la.

Quando repetir o exame de toxoplasmose?
Você só precisa repetir esse exame se for susceptível a ela. Nesse caso, pelo menos uma vez a cada 2 a 3 meses (a cada trimestre), ou quando tiver sintomas como uma gripe com febre alta, gânglios no pescoço (ínguas), e a pele vermelha.

O Citomegalovírus é um vírus cuja infecção só é importante durante a gravidez. Ela é na maioria das vezes assintomática (sem nenhuma manifestação), ou quando se manifesta, é um quadro inespecífico, como uma gripe (febre, mal-estar, íngua no pescoço, dor nas juntas). Porém, se essa infecção ocorre durante a gravidez, ela pode ter consequências graves para o feto (neném dentro da barriga), pricipalmente se ela acontece no primeiro trimestre.

Diagnóstico:
É realizado através da sorologia, que é o exame que procuramos pelos anticorpos anti-CMV (que são as moléculas do corpo feitas especificamente para combater esse vírus).
Existem dois tipos dessas moléculas: a IgM e a IgG. A presença da molécula IgM indica uma infecção mais recente, e da IgG, mais tardia, há mais tempo. Quando existe a coexistência dessas duas moléculas, IgM e IgG positivos, é necessário fazer coleta de exames complementares. Normalmente o exame realizado é teste de avidez do IgG: quanto mais ávida essa molécula estiver, mais antiga é a infecção.

Para saber mais sobre o resultado do seu exame, leia o texto: como entender o resultado do seu exame?

Qual é a taxa de transmissão materno-fetal?
Se a mulher se infecta pela primeira vez durante a gestação, a taxa de transmissão para o neném pode chegar de 30 a 50%. Porém, estima-se que aproximadamente 90% das mulheres brasileiras já entraram em contato com o vírus quando engravidam.

Como esses nenéns evoluem?
Aproximadamente 10% dos nenéns infectados nascem sintomáticos (com seqüelas). Desses, em torno de 30% evoluem para óbito, e dos que sobrevivem, 85% poderão ter problemas como surdez, cegueira, retardo mental e convulsões.
Das crianças que nascem, a princípio, sem sequelas, 10 a 15% poderão desenvolver esses problemas tardiamente, de graus variáveis.
Existe algum tratamento?

Algumas medicações podem ser dadas a esses nenéns infectados, e há estudos demonstrando seu benefício. Porém, quanto antes for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, melhor poderá ser a evolução dessa criança. Daí a importância do diagnóstico durante a gestação.

Na gravidez, pela alteração hormonal e alteração da anatomia do sistema urinário (afinal, começa a crescer no meio dele um útero que vai de aproximadamente de 300mg a 4 kg do início ao final da gestação), a gestante acaba tendo mais infecções urinárias.

Os sintomas mais comuns são: uma dor ou desconforto para urinar, uma sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, aumento do número de vezes para urinar com um volume urinário pequeno, urina fétida, uma incontinência urinária que não existia antes, e no final das gestações, pode haver aumento das contrações uterinas, podendo até desencadear um trabalho de parto prematuro.

Se essa infecção não for tratada rapidamente, ela pode ter uma série de complicações. As principais são a pielonefrite (infecção nos rins), que pode se tornar numa infecção muito grave, o trabalho de parto prematuro, e o rompimento da bolsa antes da hora.

 

 

Quando a gestante sente algum desses sintomas, deve consultar rapidamente um obstetra, pois isso é uma coisa simples de tratar quando é no começo, mas suas complicações, nem tanto! 

 

 

 

 


Dra Paula

Olá, sejam bem-vindas ao meu blog!

Antes de mais nada gostaria de me apresentar: sou médica formada pela USP, fiz residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital das Clínicas da USP e fiz pós-graduação em Medicina do Esporte na Escola Paulista de Medicina (Cefit). Trabalhei no Hospital das Clínicas como médica responsável pelo ambulatório de Ginecologia do Esporte e na clínica Célula Mater.

Escrevo esse blog pois acredito que a mulher se beneficia muito quando entende seu corpo e o como as doenças atuam nele. Isso contribui com o acompanhamento clínico e o tratamento. A partir do momento que a paciente se torna uma pessoa consciente de seu corpo, ela fica mais ativa junto ao médico na busca pela saúde.
Follow Mulher Saúde on WordPress.com