Mulher Saúde

Archive for the ‘gravidez normal’ Category

 

A maioria das recomendações gerais recebidas na gravidez vale para qualquer pessoa, grávida ou não, para que se tenha uma vida saudável. Algumas coisas, na gravidez, devem ser mais enfatizadas como não beber bebidas alcoólicas, fumar ou usar drogas, mas de resto, é basicamente levar uma vida relativamente balanceada, sem fazer grandes exageros. Porém, como a gravidez é uma época em que as atitudes que a mulher toma em relação ao seu corpo também influenciam diretamente uma outra pessoa, ou melhor, um projetinho de gente, esse acaba sendo um bom motivo para que a mulher comece a ter hábitos de vida mais saudáveis.

Acredito que todas as modificações que as pessoas façam no seu estilo de vida têm que ter uma forte motivação, e acho que a melhor delas é saber quais as conseqüências que essa modificação possa trazer para sua vida e seu corpo. Por isso gosto de mostrar essas possíveis conseqüências, tanto positivas quanto negativas, e desse modo cada um pode colocar na balança os riscos e benefícios de cada atitude com mais clareza e embasamento, e avaliar se essas modificações valem a pena ou não.

Se a mulher já tem um peso adequado para sua altura, ao engravidar, não precisa fazer grandes modificações na sua dieta, pois ela já está adequada. Se está acima do peso, é lógico que não deve iniciar nenhuma dieta mirabolante durante a gravidez, mas deve evitar ao máximo exageros e um ganho excessivo de peso na gestação pois, além disso ser um dos maiores causadores de estrias pela distensão da pele, tem uma série de outros problemas para mãe e para o feto.

Se a mulher engordar muito na gravidez, ela também aumenta a passagem de carboidratos e nutrientes para o feto, que acaba recebendo uma quantidade acima da necessária para que ele tenha o seu desenvolvimento, causando uma “obesidade intra-útero”. Isso leva a um aumento dos índices de hipoglicemia (açúcar baixo no sangue) assim que ele nasce, além do que, hoje já existe uma série de estudos mostram que esses recém nascidos mais gordinhos têm mais obesidade, diabetes, pressão alta e colesterol alto na vida adulta. Para a mulher, esse ganho de peso aumenta as chances dela desenvolver a diabetes gestacional, pré-eclâmpsia (pressão alta da gravidez), e complicações na hora do parto.

Ao final da gestação, o peso somado da placenta, do neném, do aumento das mamas e do útero é de aproximadamente 8Kg. De um modo geral, a mulher que engravidar com um peso adequado, deve engordar de 9 a 12Kg durante toda gestação, sendo que esse ganho deve ocorrer principalmente no segundo e terceiro trismestre. Aquelas que já estavam gordinhas antes de engravidar devem ganhar no máximo 9Kg.

 

 

Anúncios

Para estrear esse blog queria falar sobre uma coisa básica e essencial para o acompanhamento de uma gravidez: como contamos a idade gestacional (IG). Percebi que muitas mulheres não sabem ao certo porque o médico usa uma data ou outra para marcar o início da gestação, e se confundem muito ao relacionar os meses com as semanas da IG. Como isso funciona?

É sabido que a ovulação da mulher ocorre duas semanas antes da menstruação. Porém, quando ela engravida, ela não irá menstruar, não tendo como saber ao certo quando foi a ovulação (principalmente naquelas com o ciclo desregulado). Portanto, para se ter uma data aproximada da concepção, é usada a Data da Última Menstruação* (DUM).

Quando se faz o primeiro ultrassom (USG), se ele for no primeiro trimestre (até 12 semanas de gestação), é feita uma medida milimétrica do embrião, que tem uma pequena margem de erro. Assim, se a diferença entre a IG contada pela DUM e pelo USG for igual ou menor que uma semana, a data de início da gestação é considerada a DUM; se a diferença for maior que uma semana, é considerado a IG do USG.

Ao se estabelecer essa data, por exemplo, DUM: 15/01/09, compatível com o USG, começamos a contar o tempo de gravidez. Essa gestante completa mês todo dia 15, e hoje (18/04) ela estará com 3 meses e 3 dias, que é igual a 13 semanas e 2 dias.

Mas aí vem aquela pergunta: e se o primeiro USG for feito só depois? Conforme esse neném vai crescendo, fatores genéticos e ambientais fazem desse crescimento variável, e, portanto quanto maior ele ficar, menos fidedigna será a comparação entre o tamanho do feto e sua IG. Nos USGs do segundo trimestre é aceita uma diferença com a DUM de duas semanas, e no terceiro trimestre, de três semanas, sendo esse péssimo para estipular IG.

 * DUM: é o primeiro dia da menstruação, e não o último.


Dra Paula

Olá, sejam bem-vindas ao meu blog!

Antes de mais nada gostaria de me apresentar: sou médica formada pela USP, fiz residência em ginecologia e obstetrícia no Hospital das Clínicas da USP e fiz pós-graduação em Medicina do Esporte na Escola Paulista de Medicina (Cefit). Trabalhei no Hospital das Clínicas como médica responsável pelo ambulatório de Ginecologia do Esporte e na clínica Célula Mater.

Escrevo esse blog pois acredito que a mulher se beneficia muito quando entende seu corpo e o como as doenças atuam nele. Isso contribui com o acompanhamento clínico e o tratamento. A partir do momento que a paciente se torna uma pessoa consciente de seu corpo, ela fica mais ativa junto ao médico na busca pela saúde.
Follow Mulher Saúde on WordPress.com